DVD JOÃO DONATO & BUD SHANK – AO VIVO NO RIO DE JANEIRO

DVD JOÃO DONATO & BUD SHANK – AO VIVO NO RIO DE JANEIRO

DVD JOÃO DONATO & BUD SHANK – AO VIVO NO RIO DE JANEIRO

A primeira vez que eles se encontraram foi nos Estados Unidos, no ano de 1965, para participarem da gravação do álbum “Bud Shank ad His Brazilian Friends”, por conta do reinado da Bossa Nova em solo americano.
 
O genial pianista acreano de nascimento e carioca de coração, João Donato, reencontrou 39 anos depois, na cidade do Rio de Janeiro, seu grande amigo e parceiro, o saxofonista e flautista americano Bud Shank.
 
Isso aconteceu no ano de 2004, depois de um encontro musical no show de Bud Shank no “Chivas Jazz Festival”, quando então, sem grandes formalidades, resolveram entrar em estúdio para gravar os temas do CD “Uma Tarde com João Donato e Bud Shank”, lançado anos mais tarde, em 2007, pelo selo Biscoito Fino. Fizeram isso em apenas dois dias, num sábado e domingo.
 
Por conta dos shows agendados na época para o lançamento do CD, surgiu a ideia de registrar este mágico encontro também em DVD, o que aconteceu no ano de 2006, em 24 e 25 de novembro de 2006, em duas noites inesquecíveis no mítico e já extinto bar Mistura Fina, da Lagoa Rodrigo de Freitas, ao lado dos lendários Luiz Alves no contrabaixo e Rubinho na bateria.
 
O lançamento do DVD, editado pela Urca Filmes e pelo selo Biscoito Fino, se deu no ano seguinte, em 2007.
 
O material foi registrado em preto e branco com todo o requinte, competência e sensibilidade dos diretores Renato Martins e Felipe Nepomuceno, que tiveram a ideia genial de recriar a atmosfera intimista dos grandes filmes de Jazz. Simplesmente perfeito e marcante.
 
Neste raro encontro, que só a música pode proporcionar os dois músicos estão inspiradíssimos, com absoluta liberdade e improvisando em alto estilo, reinventando literalmente as músicas gravadas no DVD.
 
João Donato é um dos maiores pianistas deste país, além de compositor, arranjador, cantor, tendo uma experiência absurda e uma genialidade que é para poucos. Surgiu na cena profissional no ano de 1949, tocando acordeom e não parou mais, sendo atualmente um dos músicos mais ativos em shows e gravações.
 
Já o saudoso Bud Shank (falecido em 2009), estabeleceu importantes parcerias com grandes nomes do Jazz como Charlie Parker, Duke Ellington, e foi um dos grandes solistas da Orquestra de Stan Kenton nos anos 50.
 
Foi também um grande admirador e divulgador nos Estados Unidos da música brasileira, principalmente a Bossa Nova.
 
O repertório do DVD foi escolhido de forma minuciosa por Bud Shank, segundo declarou João Donato e destaco “Minha Saudade”, tema gravado pela dupla em 1965 e 2004, “Manhã de Carnaval”, que ganhou uma versão incrível com várias nuances, “Lover Man”, onde Donato no seu solo diz tanto com poucas notas, a clássica “Eager Beaver”, sucesso da Orquestra de Stan Kenton, e mais as novidades compostas por Bud Shank, “Wildflower's Lullaby” e “Carousels”, esta feita parceria com a sua mulher Linda.
 
Os “Extras” do DVD também são de arrepiar com a gravação dos clássicos “Fascinating Rhythm”, “Summertime” e “Night And Day”, além de um “making of” com cenas dos ensaios e entrevistas com os dois músicos.
 
Para você que gosta de Jazz e Bossa Nova, um registro histórico e obrigatório que reuniu 2 grandes lendas da nossa música numa atmosfera inspirada.

 

 

Ricardo Leão – “Rio Bossa Nova”

Uma das maravilhas lançadas recentemente pela Bossa Nova é o trabalho do pianista, tecladista, produtor, arranjador goiano e ex-engenheiro, radicado no Rio de Janeiro, Ricardo Leão, no formato CD/DVD (é obrigatório ter os dois), pelo selo MZA Music.
 
Justifico: o CD pelo repertório, arranjos e solos incríveis do pianista e dos seus convidados. E, o DVD pela mesma trilha musical do CD, porém com o diferencial de conter imagens da cidade maravilhosa, o Rio de Janeiro, em clipes de emocionar da primeira à última imagem.
 
E a homenagem ficou ainda mais especial depois que a cidade do Rio recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade.
 
O repertório do disco apresenta os clássicos “Rio”, “Corcovado”, “Samba de Verão”, que contou com a participação muito especial do piano elétrico inconfundível de Marcos Valle, “Garota de Ipanema”, “O Barquinho”, que teve a participação de Roberto Menescal, “Samba do Avião” e “Eu e a Brisa”, numa sensível e justa homenagem a Johnny Alf.
 
Contou com as participações de André Vasconcellos no contrabaixo acústico, Marco Lobo na percussão (e que percussão), Zé Canuto nos saxofones, Márcio André no flugelhorn e trompete, Márcio André no trombone e Aldivas Ayres no trombone.
 
Os arranjos são muito inspirados e a sonoridade do disco agrada em cheio. Como é gostoso todos estes clássicos com uma levada revigorada pelo talento de Ricardo Leão e seus parceiros.
 
E como ele mesmo destacou no CD, lembrando Jobim: “Minha alma canta”. Leve para casa o CD e o DVD. Você não vai se arrepender.

 

 

BeBossa, Roberto Menescal & Wanda Sá – “A Galeria do Menescal”

A gravação deste CD aconteceu de forma inesperada e seguiu a ordem natural das coisas. Foram vários shows por diversos palcos do país desde 2009, reunindo o grupo vocal carioca “a capella”, o sexteto BeBossa com Roberto Menescal e sua dedicada aluna Wanda Sá.
 
A química foi tão intensa, que decidiram levar o show para o estúdio. E o resultado dos shows foi surpreendente.
 
A capa do CD é uma nítida reverência às capas antológicas do Selo Elenco, criadas com muita simplicidade pelo designer Cesar Villela e que se tornaram ícones de ousadia e criatividade.
 
Foi lançado em 2011 pelo selo Sala de Som Records e o nome do disco foi inspirado no local pitoresco do Rio de Janeiro, a Galeria Menescal, localizadana no bairro de Copacabana, onde coincidentemente, o querido “Menesca” morou por alguns anos. E o prédio foi construído por integrantes da sua família.
 
Uma forma que o grupo vocal encontrou para homenagear os 50 anos de carreira deste que pode ser considerado como um dos principais personagens da Bossa Nova (como intérprete e compositor).
 
As 14 músicas do disco são as principais do seu repertório, incluindo algumas boas surpresas.
 
As minhas eleitas são “Bênção Bossa Nova”, “Bye, Bye, Brasil”, o clássico cinquentão “O Barquinho”, “Rio”, “Agarradinhos” e mais “Eu Canto Meu Blues”, “Japa” e “Balansamba”.
 
E como é bom saber que no Brasil temos grupos vocais de qualidade, seguindo o legado de Os Cariocas, Quarteto do Rio, Quateto em Cy, MPB 4 e dos inesquecíveis The Hi Lo's, The Four Freshmen, The Modernaires, L.A. Voices, The Manhatan Transfer e Take 6.
 
E o BeBossa dá um verdadeiro show de interpretação vocal, ao lado do capitão do “Barquinho”, Roberto Menescal e da incrível Wanda Sá. Simplesmente, sensacional.

 

 


Postado em: 06/03/2017

 


Comentários
Ainda não há comentários.
Deixe seu comentário

Deixe um comentário. É importante o preenchimento de todos os campos.




Digital Jazz

Enquete

Qual destes estilos você aprecia mais?






Parceiros

jazz fest
bossa fest




O material em áudio e video disponibilizado através deste site é utilizado apenas para fins culturais e não-comerciais, descartando qualquer incentivo à pirataria e quebra de direito autoral.